20 - 08 - 2018

Os Formadores do IEFP

Desde finais do anos 80, do século passado, que o IEFP se dedica à formação profissional, contando atualmente com cerca de três dezenas de centros de formação por todo o país. A formação é garantida, quase a 100%, por formadores. 

Estes formadores desempenham as suas funções nos centros de formação ou em outros locais por indicação do centro, chegando a fazer deslocações durante o dia, chegando a ter viagens de cerca de uma hora.

Os formadores desempenham as suas funções com zelo e profissionalismo, havendo formadores responsáveis pelo apoio às oficinas e gestão de consumíveis, para além de todas as tarefas pedagógicas e andragógicas inerentes. 

A APF defende a integração de todos os formadores do IEFP que sejam considerados necessidades permanentes, sejam da componente base ou tecnológica.

Um formador é necessidade permanente quando é recrutado com base num concurso de recrutamento e seleção de Formadores para suprir as necessidades permanentes na formação base identificadas pelo IEFP e divulgadas publicamente.

Um formador é necessidade permanente quando estiveram ao serviço do IEFP em quaisquer cinco anos civis, incluindo 2018, com um volume de formação igual ou superior a 500 horas.

Os formadores não podem ser penalizados pelo atraso na aprovação dos Orçamentos de Estado, como em 2016, atrasando todas as contratações de Formadores; não podem ser penalizados por licenças de parentalidade, baixa ou outras paragens devido a situações alheias ao Formador; não podem ser penalizados por políticas de contratação múltipla evitando que os Formadores façam tempo completo, 1000 horas letivas por ano; entre tantas outras injustiças que temos detetado.

Por tudo isto a APF – Associação Portuguesa de Formadores apresentou um petição pública à Assembleia da República exigindo a abertura das vagas necessárias para garantir as necessidades permanentes dos formadores no IEFP.

Os formadores estão unidos neste processo e acreditam na integração de todos! Deve haver justiça e transparência no processo. 

Atualmente a APF aguarda esclarecimentos da CAB MTSSS e do IEFP sobre os critérios de definição de pareceres favoráveis, dos critérios dos procedimentos concursais, da integração na carreira de Formador, entre outros assuntos.

 

A APF acredita que a integração tem de ser para todos!

Sem Formadores não há Formação Profissional!

Oficinas APF
AASAC
Fidelidade
Em destaque
Aos associados
Estatuto do Formador